Conecte-se

Sociedade

#CIDADES

Ataques no Rio Grande do Norte: o que está acontecendo?

Mais de cinquenta cidades sofreram com a violência no estado; ações estão ligadas ao crime organizado

Me Explica
#CIDADES22 de mar. de 233 min de leitura
Me Explica22 de mar. de 233 min de leitura

Mais de cinquenta cidades do Rio Grande do Norte sofreram ataques na última semana. Criminosos colocaram fogo em ônibus, em postos de polícia, em galpões, atiraram em prédios e espalharam terror pelo estado. Entenda o caso.

O que está causando essa violência toda no Rio Grande do Norte?

Os criminosos também tentaram botar fogo em ônibus, em garagem de ônibus, tentaram arrombar escola, e teve gente presa com coquetéis molotov. A BBC Brasil conta que essa onda de crimes tem a ver com uma disputa entre duas facções, dois grupos criminosos.

Que grupos são esses? São conhecidos?

Um deles é famoso em São Paulo e também no Brasil. É o PCC, primeiro comando da capital. O outro se chama Sindicato do Crime. A BBC diz que eles estão brigando no Rio Grande do Norte há pelo menos dez anos.

Como assim? Esses grupos brigam por quê?

Eles brigam para dominar o crime no estado. Mas, segundo a BBC, os ataques não são parte da guerra entre os dois grupos. Na verdade, neste momento, eles estão em trégua e tem até um objetivo comum.

Os ataques estão acontecendo porque os grupos estão juntos?

Juntos não, mas eles estão em paz, pelo menos por enquanto. O que está acontecendo é: o Sindicato do Crime está ordenando esses ataques porque ele considera que as condições dos presídios no Rio Grande do Norte são muito ruins. Então, essa violência serve para exigir do governo que melhore a situação das pessoas presas.

Isso é verdade?

A Secretaria de Segurança Pública do estado diz que não. Diz que isso tudo está acontecendo porque o governo tem combatido o tráfico de drogas e o crime organizado.

O que o governo do estado está fazendo para controlar essa situação?

A governadora Fátima Bezerra pediu ajuda do governo federal, que mandou 700 policiais e mais de R$ 5 milhões para combater a violência. O Flávio Dino, ministro da Justiça, disse que pode mandar mais 800 policiais para lá, se o estado precisar.

Não é a primeira vez que esse tipo de coisa acontece, né? Esses ataques todos…

Não mesmo. Um dos episódios mais famosos foram os ataques do PCC aqui em São Paulo, em 2006, lembra? Isso aconteceu no dia 12 de maio daquele ano. Morreram 554 pessoas e 110 ficaram feridas no Estado de São Paulo.

Por que isso aconteceu?

Porque, na época, o governo de São Paulo tinha decidido transferir 765 presos para uma prisão de segurança máxima. O governo fez isso depois de descobrir que tinha uma rebelião programada pro Dia das Mães daquele dia. Os ataques foram uma reação do PCC.

O que vai acontecer no Rio Grande do Norte?

É difícil de saber. Mas a gente espera que a ajuda do governo federal pelo menos acalme as coisas por lá. Porque resolver a gente sabe que não vai. Esse problema das facções organizadas é muito sério aqui no Brasil e parece que nenhum governo consegue resolver.

#CIDADES
VIOLÊNCIA
CRIMINALIDADE
RIO GRANDE DO NORTE
FACÇÕES
DIREITOS HUMANOS